Bravura Indômita (2010)

“You must pay for everything in this world, one way and another”

Que seja um remake de 69, o importante é que Bravura Indômita trouxe para o Cinema comercial da nossa década, algo que há muito não era explorado. A temática faroeste, numa aventura boa pra assistir, com personagens que alternam um coração mole ou duro como pedra.

Mattie Ross (Hailee Steinfeld ) começa narrando a história sobre como seu pai morreu, e como pretende vingar a morte dele. Decide então ir atrás de Tom Chaney (Josh Brolin) mas para isso, era necessário contratar alguém que fizesse o serviço. É então que ela contrata Rooster Cogburn (Jeff Bridges) tendo em paralelo LaBoeuf (Matt Damon) que possui o intuito de capturar vivo o mesmo homem.

O roteiro do filme é simples o suficiente para fluir de modo natural, com uma construção clara de começo, meio e fim. As cenas não são carregadas de nenhuma ação onde coisas explodem e pessoas correm para todos os lados, mas ele está carregado com o estilo do Velho Oeste, com personagens competentes (inclusive a garota Steinfeld) que junto com demais elementos bem trabalhados como uma boa trilha e fotografia, deixa o filme com uma qualidade peculiar dos irmãos Coen. Jeff Bridges está excelente para o papel que lhe foi dado, o que nos leva a considerar ser uma pena não ter garantido uma estatueta no Oscar.

O interessante do longa, é a alternância dos bons diálogos com um cunho até cômica em algumas partes, para cenas com mais tensão, por poucas vezes caindo numa dramaticidade que chega a ser dispensável, mas nem por isso deprecia o filme. Hailee Steinfeld cativa logo de cara, com suas negociações para arrecadar dinheiro, e mais ainda na cena que atravessa o rio de cavalo atrás de Cogburn. Os irmãos Coen tiveram a preocupaçnao de filmar a travessia completa, que invés de surtir um resultado que poderia parecer enfadonho, dá mais força ainda para o personagem de Mattie e uma sensibilidade não tão comum em filmes de faraoeste, principalmente com uma mulher protagonizando.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Bravura Indômita (2010)

  1. Legal apenas. Claro que está anos-luz atras dos faroestes de Leone por exemplo, mas como vc disse, trouxe a temática do velho oeste que havia sido esquecido, e o mais legal é que foi um sucesso de bilheterias. A menina é o melhor atrativo do filme. E Bridges elogiado por uma atuação normal. assim como Bonham Carter.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s