Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte II (2011)

“Of course it’s happening inside your head harry, but why on earth should that mean that it is not real?”

Contém spoilers

David Yates recrutou todas as criancinhas do clipe de Another Brick in The Wall do Pink Floyd, pagou um cachezinho, e uns cachecois quentinhos de cada casa e criou para Hogwarts um ar sombrio que dá tristeza quase da mesma forma de quando se lê a descrição do que a escola se tornou no livro…

Ver Hogwarts cinza, representado na boa fotografia do longa (coisa que não podemos reclamar) em ruínas e sem luz, é de dar pena e saudade, até para nós os espectadores que acabam lembrando com nostalgia quando o menino Harry botou na cabeça o Chapéu Seletor. Porque nada é como antes, o caos reina, Voldemort tá todo meninão (destaque pra risadinha de tio do churrasco dele no quase final) e Harry agora não brinca mais de Vingardium Leviosa

Tudo é enebriante no filme, não há momentos para levantar e ir no banheiro. Você quer absorver exatamente tudo que o final da saga tem pra mostrar, ou pelo menos absorver quase tudo daquilo que lembra ser relevante no livro. E em matéria de adaptação, Yates se saiu bem, apesar de infelizmente não me recordar como era exatamente o final do livro. Pra quem leu, me ajudem… Aquela ceninha de aventura de Voldemort com Harry realmente acontece? Pois pra mim, quando Harry volta do bate papo com Dumbledore, ele já resolveu a situação lá na Terra…

Mas, voltemos ao filme: O beijo Hollywoodiano de Ron com Hermione foi desnecessário, serviu pra um bando de menininhas berrar no meu ouvido no cinema. Acredito que poderia ser melhor trabalhado… Idem ao beijo rápido de Gina com Harry, meio fora de contexto, parecendo que entrou lá porque não tinha mais outra cena pra entrar.

Outro problema, já de longa data é nosso querido Ralph Fiennes sem nariz, como Voldemort. Ele não é uma figura que dá medo. Nunca foi. E convenhamos, aquela risadinha dele ainda (que não me conformo) beirou o ridículo. Nagini dá mais medo que Voldemort…

E o ápice? Snape, claro. Tanto a cena de sua morte (pela Nagini, cruel) quanto suas lembranças na Penseira momentos depois. Pena que pra quem só viu o filme e não leu os livros, assistiu a morte de Snape com rancor no coração a la “MORRE DIABO”. Eu chorei tudo que tinha pra chorar ali. E mais ainda na lição de Harry ao seu filho depois sobre Severo Snape. Essa é uma das partes que mais gosto na história de Rowling: Não é a casa Sonserina que guarda pessoas ruins. De Sonserina saiu Voldemort, mas também saiu Severo Snape, um bruxo corajoso que amou Lilian do começo ao fim. Não tem como não se emocionar quando ele olha para Harry e diz que ele tem os olhos da mãe.

A segunda coisa legal é Neville LongBullying que destrói a cobra MALA, e faz um discurso que… bem… esta foi outra coisa Hollywoodiana que eu deixava passar. O discurso de Sam do Senhor dos Anéis foi mais bonito (se é que me permitam comparar).

Última tosquice cinematográfica: 19 anos depois e a trupe toda ainda conserva um semblante bonitinho? Desculpa ae produção, mas a maquiagem poderia ser melhor trabalhada. O único que mais convence é o próprio Harry.

Mas, ei pessoal! Acabou! Não verei mais Cosplay da Grifinória nos cinemas, e isso tudo contribuiu pra gente sair emocionado do cinema. Porque Harry Potter marcou absurdamente e não temos mais nenhum filme para esperar. Bem verdade que o trio Radcliffe, Watson e Grint devem ter dado graças a Deus, mas a gente sempre fica com a sensação de querer mais.

Anúncios

23 pensamentos sobre “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte II (2011)

  1. Pingback: Top 10 – Personagens de 2011 « La Matinée!

  2. Para mim SNAPE foi sem duvidas alguma o protagonista. Eu nunca vi um ator se entregar tanto ao papel quanto ALAN RICKMAN se entregou ,eu sempre soube q ele nao era do mal, mais eu nunca pensei o quanto ele era bondoso sabe o q ele foi eh sem esplicacao ,tipo ele amo LILIAN ate o fim, cuidou do filho dela, foi fiel ate o fim a Dubledore, guardou o ser maravilhoso q era so pra ele pois se tivesse demonstrado o q realmente era estragaria todo o plano d Dubledore, foi odiado por todos os alunos ,e ainda foi chamado d covarde isso sim eh um heroi d verdade!!!!!!

  3. O filme para mim é incrivel, e discordo dessa ‘critica’. Para mim, quem escreveu não é fã. A cena do beijo de Rony e Hermione tinha que acontecer, quem aguentaria ir embora do cinema sem uma das cenas mais esperadas? Voldemort foi um vilão incrivel, com seu jeito de falar e agir unicos. E a ultima cena foi maravilhosa. É naquele momento q percebemos que td acabou e bate aquele vazio e tristeza. O filme é épico. Ponto.

    • Olá Amanda! Tudo lindo?

      Não é uma critica, não sou critica ou jornalista ou cineasta, sou designer. Meu blog é meu hobby e não me preocupo em escrever polidamente sobre os filmes, ok? Quanto a ser fã, eu sou fã só de mim.
      Concordo que o beijo tinha que acontecer, só achei hollywoodiano demais da forma que foi feita. Vilão incrível pra mim é Darth Vader. Voldemort é motivo de chacota, mas não é culpa de Fiennes ou de Rowling e sim da personificação visual que fizeram do personagem. A última cena foi maravilhosa mesmo, pena que a maquiagem tava bem tosca né? Eu queria tar tão jovem daquele jeito daqui 19 anos também viu!

      Épico não porque não é de época. A história se passa num mundo atual, porém paralelo.

      Volte sempre! Bjão!

  4. pra ser sincero eu esperava mais. Tbm não concordo que Voldemort não coloca medo. Achei a atuação do Ralph excelente. A cena em que eles aparecem com o harry no colo e ele começa a falar é apavorante, Yates conseguiu fazer um clima bem tenso e pesado. A risada foi épica hahahaha o cinema inteiro riu.

    Mas os maiores destaques pra mim foram o duelo da minerva e o snape. fodástica essa cena. assim como o feitiço das estátuas. Hitckman teve sim uma atuação excelente mesmo, talvez a melhor do filme… Harry, ronny e hermione parecem estar longe um dooutro, não vemos aquela amizade e uniaão do parte1

    Agora, achei que tudo ocorreu muito rápido, a morte da belatrix foi em 5 segundos, a batalha final não tem nada de épica, me desculpem, épico são filme com batalhas grandiosas, intensas, memoráveis, o que esse filme não foi. O harry mal luta com Voldemort, as cenas não tem intensidade, exceto uma cena em que os 3 passam pelo meio da batalha e veem aqueles trolls gigantes matando tudo, mas tbm foi uns 2 minutos de cena. é gente morrendo aqui e ali, mas como se a gente nem ligasse. Até porque Yates simplesmente não aproveitou as cenas de morte e batalhas que eram pra ser as mais impactantes. O snape morre tão sei lá, rápido. A belatrix nem se fala. O beijo foi legal.

    Mas com certeza valeu a pena. Acho que deve ter sido minha melhor experiencia no cinema este ano junto com Cisne Negro e X-Men 4.

    • Digo o mesmo Andinho! Minha melhor experiencia desde que sai abalada da sessão do Senna.

      Achei rápido tb, mas nao acho que as cenas de batalha ficaram ruins. Poderiam ser mto mais fracas. Eu me surpreendi.

      Bjs

  5. Este último filme merece aplausos de pé! Só não concordo quando você diz que Ralph Fiennes não mete medo em ninguém. Acho que o ator foi a escolha perfeita para interpretar o personagem e até hoje não decepcionou. Ele passa o ar de quem não possui emoção nenhuma mas ao mesmo tempo se diverte demais ao matar e torturar outras pessoas. Ralph Fiennes e Alan Rickman estão fantásticos neste último filme.

    http://filme-do-dia.blogspot.com/

    • O problema não é Fiennes. E sim a personificação que fizeram do personagem. Concordo qdo vc diz que ele nao passa emoção nenhuma, isso é bem interessante, e é um grande feito do Fiennes, que é um ótimo ator. Mesmo assim, não é um vilão da qual se teme…

      Alan Rickman sensacional!!!!

      Abs!

  6. Comentário recheado de SPOILERS
    Reli as últimas 200 págs. do livro e acho que Steve Kloves fez milagre. O tratamento dado a batalha de Hogwarts é muito melhor no filme que no livro (me desculpe, J.K. Rowling não sabe escrever cenas épicas de batalhas sangrentas como Tolkien). Achei o beijo entre os dois casais muito estranho, completamente sem paixão. A única coisa que me decepcionou mesmo foi a ausência do diálogo entre Harry e Voldemort (é nessa parte que se explica o porquê do patrono de Snape ser igual ao de Lílian – no filme isso fica um pouco confuso. Mas de resto, tiro meu chapéu para Kloves – deu um tratamento épico que nem J.K. conseguiu dar. Bom, realmente o final do livro era meio “ah é? que bom que tudo terminou bem =)”, consequentemente o filme não podia fugir disto.

    P.S. Que porcaria de execução foi aquela na morte de Crabbe? Ah sim, as mortes também não tem o efeito que eu esperava, principalmente a de Bellatrix.

    Ótimo texto, Nat. Acho que você ficou com uma sensação de que o filme poderia ter sido melhor… Eu também fiquei.
    Beijos!

    • Verdade, tenho que concordar que as cenas da batalha conseguem chamar mto a atenção e causa um impacto que eu não imaginava causar.

      Nao gostei da Bellatrix ter morrido! hahahaha Adoro ela! hahaha

      Fiquei sim, mas de qualquer forma, sai do cinema com cara de bunda como praticamente todo mundo. Chorei mto, até nos creditos. Não sei ainda como é não esperar por mais um Harry Potter…

      Bjs!

    • Pelo contrario Marcio. Mtas cenas do proprio filme conseguem ser melhores que o livro e alias, em materia de adaptação, acho este ultimo um dos melhores…

      Abs!

  7. Nossa, o que eu não chorei ontem/hoje de madrugada, eu choro agora lendo os textos e escrevendo o meu, rs. Adorei o filme, a direção de David Yates fez um diferencial do caramba, os coadjuvantes apareceram e marcaram mais do que o próprio Harry em minha opinião – veja McGonagall em apenas uma sequência de feitiços, Longbottom sendo o herói no fim e Snape, trazendo toda a nostalgia em seu personagem. Se antes eu odiava o personagem do Alan Rickman, agora eu adoro, foi a única parte em que eu chorei de verdade. E, com o amigo aí de baixo, também não gostei de Molly matando Bellatrix, poxa. Adoro Helena Bonham Carter e esse papel foi um trunfo.
    Lindo filme e ótimo texto, na tua linguagem mais pessoal você consegue enquadrar o sentimento de todos. E concordo com a sequência de 19 anos depois, sinceramente pareceram 19 dias.
    Abraços

    • Alan Rickman é demais, sua atuação como Severo Snape é insubstituível. Com certeza, neste último filme, ele foi o protagonista.

      Abs

  8. Ótima resenha! =)

    Voldemort foi, é, e sempre será o motivo de xacota dos filmes (livros nao) Harry Potter, e nesse ele se superou uahuahuaauha aquele HEHEHE foi demaaais, aquilo tem que virar meme!

    “Voldemort tá todo meninão” auhauhuha

    Os beijos foram totalmente forçados, romance nunca foi o forte de HP, nem nos filmes, nem nos livros rs

    Oq, vai dizer que nao reparou na barriguinha de chopp do Ron? xD

    Snape foi o destaque do filme. Ele abriu o filme né, desculpa ai.

    Só eu nao comemorei quando a Mrs. Weasley matou a Bellatix?

    • não chorei, mas rola uma depressãozinha em pensar que tudo acabou =/

      é o fim de uma era, são 10 anos da minha vida que eu vou lembrar com muito amor <3

      adorei a frase que vc escolheu! Dumbledore FTW!

    • nossa, aquela risadinha do Voldemort foi uó da xacota! hauhauhau

      Tb acho. Num tinha que ter beijo nenhum! hahaha

      Sim, eu digo o rosto deles… Nao tavam tao velhos assim, 19 anos depois.

      Nossa, pra mim Snape foi o protagonista. Até hoje eu lembrava das cenas dele, principalmente da Penseira quando ele vê Lilian morta, e dá vontade de chorar de novo, hahaha

      Eu tb nao comemorei. Tipo, se o pai do Malfoy sobreviveu, porque a fofa não podia ficar viva tb ne?

      Bjs!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s