Cidade dos Sonhos (2001)

“No hay banda!”

Estamos acostumados a encontrar razão e respostas para a maioria dos filmes, principalmente aqueles de mistérios. Quando uma trama começa a criar nós de incógnitas, é natural esperarmos (e termos por fim) praticamente a maioria das respostas respondidas, ou mais ou menos mastigadas pra gente fazer nossas próprias interpretações. Mas Lynch adora tirar sarro, botar miniaturas de pessoas com luzes azuis e você fica igual um bocó procurando sentido e fazendo teorias pra explicar a psicologia de todas as coisas. Bom, não tente, e se você gosta de todas as respostas apresentadas num filme (já que não temos na vida real), vá ler Agatha Christie. Pois Cidade dos Sonhos vai de nada a lugar algum, e mesmo você descobrindo certas coisas do filme, e até mesmo as principais que chegam a ser expostas quase no final, muitas coisas ficarão ainda sem respostas, simplesmente porque não tem mesmo. Nem Lynch sabe.

Aí tem todo o tipo de opniões: Os que adoram o filme e acham respostas (das mais absurdas as mais coerentes), os que dizem adorar, porque perdem o lado cult se falar que não gosta do trabalho de Lynch, os que gostam do filme graças a essa tiração de sarro por parte do diretor além das experiências sensoriais típicas de Lynch, como luzes, trilha e bizarrice (acho que me encaixo aí), e por fim, os que odeiam porque de fato, ao final do filme você solta um ululante WHAT THE FUCK?!

Uma coisa é certo: o título do filme é um spoiler a parte. Não vejo razão de terem traduzido uma vez que o título original (Mulholland Dr.) já diz muito sobre a temática do filme, sobre uma região em Hollywood, um local onde artistas vivem e se suicidam, seja por infelicidade da vida, ou pelo fracasso de suas carreiras.

Betty (Naomi Watts) vai pra casa da tia e encontra uma moça (Laura Harring) que diz não se lembrar de nada de sua vida a não ser o fato de ter sofrido um acidente de carro. Esta é a primeira parte do filme, mesclando cenas que parece não ter pé nem cabeça, com pequenos takes curtos de elementos aleatórios e muitas diquinhas espalhadas por todo o longa, que é preciso vê-lo mais de uma vez pra poder captar certas coisas. Como sempre temos pessoas fazendo coisas estranhas (como um dos mafiosos que cospe café, que na realidade é o próprio Angelo Badalamenti, responsável pela trilha do filme), efeitos toscos e pessoas monocromáticas seja em miniatura ou num plano surreal (que dá um puta medo mesmo assim. Aliás, acho que só Lynch consegue fazer algo propositalmente tosco que dê medo ao mesmo tempo), uma moça com uma sombra azul cintilante da Avão, cantando num palco uma música pra lá de devagar, e claro: anões, cortinas vermelhas, caretas, sintetizadores e todo universo que você também encontra em demais trabalhos de Lynch, como o próprio Twin Peaks.

Me pergunto do que é feito o cigarrete de Lynch...

Cidade dos Sonhos não é um filme com muitas respostas, não tente filosofar e desmistificá-lo. Fica uma sensação estranha quando tudo termina, não só por todo o nó da sua cabeça, mas pela própria sequencia totalmente não linear, perdidas ao longo do filme que não permite você ser capaz de botar numa ordem coerente. A grande dúvida que ficou pra mim na realidade é: Qual é a droga forte que Lynch usa pra fazer essas coisas???!

Anúncios

10 pensamentos sobre “Cidade dos Sonhos (2001)

  1. Thanks for your publication. What I want to point out is that when searching for a good on the internet electronics go shopping, look for a web page with complete information on critical factors such as the security statement, safety measures details, any payment procedures, and also other terms in addition to policies. Constantly take time to browse the help in addition to FAQ areas to get a greater idea of how the shop works, what they can perform for you, and how you can use the features.

  2. Da primeira vez que vi esse filme, me senti como você nesse texto, com muitas perguntas em mente, aliás. È preciso rever esse filme para procurar explicações, acho que essa é uma das sacadas propositais dele. rsrsrs.

    Beijos! ;)

    • De fato, Mayara, todo mundo diz que preciso ver mais uma centena de vezes, porque cada vez, a gnt percebe alguma coisa a mais. Só preciso de um tempo. Deve fazer mal ver esse filme várias vezes seguidas em uma fração curta de tempo! hahahaha

      Bjo!!

  3. Pelo visto não gostou muito de Cidade dos Sonhos, nê? Mas Lynch é assim mesmo, mas sabe manipular emoções como ninguem. A virada no filme me tirou o folego, gosto muito desse filme, uma viagem total.

  4. David Lynch é alucinado, Nat. Até hoje, só conferi o extraordinário “O Homem Elefante” – quero ver “Veludo Azul” (dizem que é ótimo).
    Me interessei pelo ar “sem noção” desse “Cidade dos Sonhos”. A história também tem cara de ser boa. Apesar de vc não ter gostado muito, vou procurar para assistir.
    Beijos!

    • Veja sim, é meio lunático, mas não é um tempo perdido, rs.

      Esse O Homem Elefante falam que é mto pesado. Tipo, vc perde a vontade de viver depois que assiste, rs… To há mto tempo querendo ver, mas sempre deixo pra depois…

      Bjo!

    • Há várias teorias na realidade. Uns dizem que é um sonho (como o próprio titulo nacional sugere) outros dizem ser uma realidade alternativa, ativada quando é girado a chave na caixinha azul… Vá saber né, rs…

  5. Ah, adoro esse filme. Não sei, gosto da forma como David Lynch conduziu a história, e sempre acho mais alguma coisa quando revejo Cidade dos Sonhos. Acho que é isso que mais gosto nos filmes de Lynch, sempre há uma opção, por mais esdrúxula que possa parecer, num leque de infinitas interpretações. Todas estão corretas e todas estão erradas ao mesmo tempo. E até achei esse filme o mais descomplicado de Lynch. Já viu Império dos Sonhos? Bem, eu nem recomendo, é ainda pior do que Cidade dos Sonhos, hehe.
    Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s