A Pele que Habito (2011)

“If you wanted to die you would have cut your jugular.”

Quando me falaram que A Pele que Habito é meio bizarro, psicótico e um tanto asqueroso, eu pensei sobre o título (não fazendo muita idéia do que se tratava) e logo, minha sinapse ligou uma coisa com a outra e conclui: A Centopéia Flamenca Humana!

Deu que fui ver o filme meio receosa. E apesar de momentos asquerosos, como um careca vestido de tigre lambendo o interfone (na verdade, já não me recordo se era isso que ele lambeu, mas de qualquer forma, era um objeto) não é uma centopéia humana que você vê, afinal tem uma elegância que não se vê no bizarro lado B. Aliás, a comparação é demasiada ridícula. Perdoem a sinapse, até então nem sequer havia lido a respeito do filme…

Adaptação do livro de Thierry Jonquet, o filme conforme o próprio Almodóvar afirmou, é um terror sem gritos e pulos da cadeira. O que fica é a sensação de mal estar, causada pela bizarrice dos fatos que toma dimensões maiores a medida que vai se estendendo a história e a compreensão do todo fica mais claro.

Robert Ledgard (Antonio Banderas) é um cirurgião plástico que vive numa mansão junto com a senhora Marilia (Marisa Paredes), e Vera (Elena Anaya), uma mulher aparentemente perfeita, mas que vive dentro de um quarto trancado, monitorada por câmeras 24h. Vera, usa uma espécie de segunda pele no corpo, num bege Demillus que ainda assim não é capaz de desencantar sua beleza. A moça aparentemente tem traços perfeitos, e logo no começo percebemos que Robert tem a intensão de tornar sua pele a prova de todo e qualquer tipo de acidente que possa vir a ocorrer. Isso faz sentido, quando concluimos num dado momento que a esposa do médico sofre um acidente de carro, e fica com a pele deformada.

As questões começam a ser levantadas, no entanto: Quem é o maluco vestido de tigre? Porque Vera tem o rosto igual a da mulher do médico? E a medida que certas respostas aparecem, outras perguntas surgem, até chegar ao ponto que a história atinge linearidade dos fatos, mesmo você não compreendendo ainda como ela vai ligar todo o começo.

Acompanhada de uma fotografia rica em luz (principalmente nas cenas do quarto fechado de Vera, o que veio muito bem a calhar um merchan da Channel) e de uma trilha harmoniosa e bela, A Pele que Habito é o que eu chamo de Terror Fino. Cheio de insinuações nas palavras e ousado nos atos. Não há ameaças que não findam em tragédias.

Você fica tão embasbacado quando se dá conta do fundamento principal, que o fim daquilo tudo perde importância. Almodóvar une de uma forma interessante, a nobreza e a bizarrice.

Finalizo aqui com uma espécie de apelo, (possui spoilers, se não viu o filme, nem continue) a fim de alertar outras mentes curiosas a não cometer o mesmo erro que eu: Nunca, mas NUNCA na sua vida vá ao Google imagens e procure pela palavra “vaginoplastia. Sem mais.

Anúncios

12 pensamentos sobre “A Pele que Habito (2011)

  1. Nat, eu cometi o mesmo erro que você alguns dias depois de ter assistido ao filme hahahaha. Como você está? Faz tempo que não nos falamos!
    Gostei da classificação, Terror Fino. Vou adicionar ao meu dicionário cinematográfico. :)
    Foi ver “A Filha do Mal”?
    Beijos!

    • hahahahaha legal né? Adoro classificar filmes com nomes novos =)

      Eu estou bem! E vc tb né? Agora é estudante de cinema, mega chique! =D

      Vi nada, sou medrosa demais pra ver filme assim! Só ouvi rumores de que é mto ruim! hahahahaha

      Bjo!

  2. SPOILEEEEEEER

    Só eu ri demais com esse filme? Só as cenas de sexo, umas 50 mais ou menos, já são hilarias, e quando descobrimos a verdade então. tipo, ele comeu um homem mas como se fosse sua esposa, e amarradão, de conchinha, e tudo mais. E quando vem a tona o porque dela sentir dor…oO

    Mirabolante. Diferente. Adorei.

  3. É um filme tenso, um filme bizarro e Almodóvar se superou aqui para fazer sua obra. E mesmo assim, se tornou meu favorito do ano passado. A Pele Que Habito é imperdível, e aquela surpresa no final realmente é uma surpresa.
    Um abração ;)

  4. Excelente filme, e gostei da forma como você falou de tudo sem falar de nada, hehe. Agora, fala sério, esse seu alerta no spoiler acaba tendo o efeito contrário, hehehehe, eu nem tinha cogitado essa possibilidade e agora fiquei curiosa para ver o que vc encontrou de tão trágico. :p

    A propósito, você já assistiu o filme português Morrer como Homem? Lá tem uma cena em que o médico descreve em detalhes como é feito.

    bjs

  5. Meu qdo li “centopeia humana” no post, me deu ânsia NA HORA!!!! O spoiler é fichinha pra mim comparado com aquela cena grotesca das pessoinhas deitadas todas juntas q formam a centopeia aarrrgggggg eca eca eca eca eca #Vomitooooo
    Sonho em esquecer aquela cena T-T’
    Se o filme é no mesmo patamar de nojeira fico com os clichês de terror com gritos, pulos e sustos mesmo XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s