Dancinha da felicidade de Tom Hansen

Ou melhor dizendo: Dancinha da Felicidade pós sexo de Tom Hansen. Cena do filme de 2009 –  500 dias com Ela, mostra Tom (Joseph Gordon-Levitt) saltitando ao som da música You Make My Dreams (Hall & Oates) após uma noite de coito com a linda Summer (Zooey Deschanel). A cena satiriza um pouco as cenas musicais da Disney (principalmente a do filme recente “Encantada”) com passarinhos em 2D sobrevoando, e Tom abraçando mecânicos, garis e executivas (igualzinho é na cidade de São Paulo, experimente fazer isso na Av. Paulista – tipo umas 7h da manhã).

Cena: Dancinha do pós acasalamento de Tom Hansen
500 Dias com Ela (2009)
Dir. Marc Webb

 

E fala se essa cena não é contagiante? Irradiando bom humor… nada como uma boa noite mal dormida…


Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Romance sem romantismo

Saudações!

Em especial de Dia dos Namorados, teremos dois posts relacionados ao tema! Claro, que não me permiti falar de água com açúcar aqui, por mais lindo que seja. Então este primeiro post é mais uma indicação nossa de dois filmes bem legais onde o amor não é recíproco e as pessoas não vivem felizes para sempre como alma gêmeas! ♥

 

Existem diferenças relevantes entre os dois filmes, pois ao mesmo tempo que um você encara super bem o final, o outro te dá um certo vazio gigantesco e até uma pena do Clooney. De qualquer forma, ambos transmitem significados muito interessantes que podem servir de lição. 

(500) Dias com ela – (2009) – Dir. Marc Webb

♫ “Color my life with the chaos of trouble” ♪

Tom (Joseph Gordon-Levitt) trabalha numa empresa de desenvolvimento de cartões comemorativos. Logo, ele conhece a nova assistente da empresa, Summer (Zooey Deschanel) e se apaixona. Entre The Smiths, brigas e bagunças, eles vivem um relacionamento de certa forma intenso…

Nisso, a Summer dá um fora nele… Tom fica todo triste lembrando dos momentos com ela. O filme todo você fica imaginando como isso vai terminar, apesar da Summer ter uma postura beeemm desapegada e descrente no amor.

O estilo do filme é todo retro, ao mesmo tempo que é  atual. E a trilha sonora é bem legal também.

Trailer:

 

Amor sem escalas – (2009) – Dir. Jason Reitman

“The stars will wheel forth from their daytime hiding places, and one of those lights, slightly brighter than the rest, will be my wingtip passing over.”

A profissão de Ryan (George “Awesome” Clooney) é demitir as pessoas e ele apresenta uma postura meio fria nesse aspecto, afinal não pode se influenciar pelo sentimentalismo e decepção das pessoas demitidas. Ele é todo anti-amor, não é nada caseiro, vive viajando por conta da profissão, e não se apega muito com a família. Típico executivo da sociedade moderna e metropolitana sabe? Sozinho e aparentemente realizado. Daí surge a Natalie (Anna Kendrick) que ameaça sua profissão, criando um sistema para demitir as pessoas pela rede. Ela acaba até se dando bem com Ryan, mas é o oposto dele, toda emo, apaixonadinha pelo noivo e chorona quando ele lhe dá um pé na bunda.

Numa das viagens, Ryan conhece Alex (Vera Farmiga – que sobrenome é esse?) e depois de várias copulações e conhaques, ele se apaixona por ela, e aos poucos volta a ser um cara que dá valor as pessoas, a família e a amizade. E se fode em alguns aspectos desta mudança.

 

Veja o Trailer:

Apesar do desamor todo do post, vale a pena assistir os dois filmes, seja solteiro ou cônjugue de alguém…